Sair

Laura Widal

O que muda após me tornar um líder?

// 06/11/2017

Quando um profissional se torna líder dentro de uma organização muitas coisas mudam em sua rotina de trabalho. A pessoa, que antes era um contribuidor para executar as tarefas, passa a ser responsável por gerir a equipe que irá realizar o trabalho. Isso significa que, provavelmente, ele sairá da sua zona de conforto, mudando totalmente escopo.

Podemos dizer que desde que começamos a trabalhar, precisamos conhecer nossos talentos e entender quais são os pontos a serem melhorados. Com a liderança não é diferente. A verdade é que existem pessoas com mais facilidade para liderar (aqueles que algumas vezes chamamos de líderes natos), mas isso não quer dizer que aqueles que não possuem essa habilidade tão aflorada não possam desenvolvê-la. Para que isso ocorra só é preciso uma coisa: disposição de aprender.

Em meus contatos com líderes e CEOs de empresas noto que um dos fatores mais críticos para o sucesso de uma empresa, e fonte de grande preocupação do C-Level, é o desenvolvimento de lideranças. Isso acontece pois, algumas vezes, a pessoa é promovida/contratada para esse tipo de cargo sem que esteja preparada ou desenvolvida para ele. Por isso, antes de começar a desempenhar seu novo papel, é necessário que a pessoa faça algumas análises sobre suas habilidades e entenda quais são as que ele já possui e quais ele precisa aprimorar. Não tenha medo, liste cada uma delas, analise e entenda o que precisará fazer para obter excelência. Desta forma aumentará suas chances de ter sucesso em seu novo papel.

Quais são os papéis que o líder desempenha

Muitas vezes surge a dúvida se a única tarefa de um líder será a gestão de pessoas. As pessoas temem ficar com tempo livre. Mas você já parou para pensar em tudo que envolve essa função? Listo aqui algumas das principais atribuições:

- Promove e colabora para mudanças de atitudes necessárias para que a equipe atinja seus objetivos

- Estimula o trabalho em equipe

- Se preocupa e proporciona desenvolvimento pessoal

- Encontra caminhos para que a equipe trabalhe com maior sinergia

- Contribui com a definição de prioridades

- Proporciona um ambiente favorável para que os colaboradores produzam

O líder deve garantir que sua equipe consiga trabalhar bem, e para isso, um fator decisivo é a empatia. É necessário conseguir, pelo menos, entender a perspectiva de cada um e fazer o exercício de se colocar no lugar da pessoa, tendo sempre o diálogo como ferramenta. Outro ponto é que os valores desse novo gestor devem estar alinhados aos valores da empresa, só assim será possível ter um discurso coerente para os colaboradores.

Deu para perceber que para ser um líder de sucesso não basta ter conhecimento técnico ou uma carreira bem-sucedida até aquele momento, não é?! É preciso ter ou desenvolver habilidades para gerir sua equipe com maestria, pois aqui o que mais faz diferença não é o seu discurso e sim suas atitudes.

Gostou do conteúdo? Confira os assuntos relacionados no nosso canal do YouTube: